Estruturas Condicionais: If e Else e Switch mp JavaScript

Ofertas Relâmpago da Shopee

Dispositivo de Proteção Elétrica EPS 301 Preto Intelbras
Dispositivo de Proteção Elétrica EPS 301 Preto Intelbras
R$44,89
Jogo de Cozinha Kit C/12 Peças de Silicone
Jogo de Cozinha Kit C/12 Peças de Silicone, Utensílios e Copo Suporte para Cozinha Cabo de Madeira Yihan
R$50,80
Gaabor Panela de Pressão Elétrica 6L
Gaabor Panela de Pressão Elétrica 6L
R$399,90
Cesto de Silicone Redondo Air Fryer
Cesto de Silicone Redondo Air Fryer e Forno Forma para Fritadeira Elétrica com Alça
R$10,00

As estruturas condicionais são fundamentais em qualquer linguagem de programação, e no JavaScript não é exceção. O “if” e o “else” são as estruturas condicionais mais básicas em JavaScript, permitindo assim que o programa execute diferentes ações dependendo de uma determinada condição.

A estrutura básica do “if” é a seguinte:
if (condição) {
   // bloco de código a ser executado se a condição for verdadeira
}

A condição é uma expressão booleana que retorna “true” ou “false” como resultado. Se a condição for verdadeira, o bloco de código dentro do “if” é executado. Caso contrário, ele é ignorado e o programa continua a execução normalmente por exemplo.

É possível adicionar um bloco de código opcional após o “if” utilizando a estrutura “else”. O bloco de código dentro do “else” é executado se a condição do “if” for falsa. A estrutura básica do “if-else” é a seguinte:

if (condição) {
   // bloco de código a ser executado se a condição for verdadeira
} else {
   // bloco de código a ser executado se a condição for falsa
}

Veja um exemplo prático:

let nota = 7;

if (nota >= 7) {
   console.log("Parabéns, você foi aprovado!");
} else {
   console.log("Infelizmente, você não foi aprovado.");
}

Nesse exemplo, a variável “nota” é igual a 7. Se a nota for maior ou igual a 7, o programa exibe a mensagem “Parabéns, você foi aprovado!”. Por outro lado, o programa exibe a mensagem “Infelizmente, você não foi aprovado.”.

É possível adicionar mais de uma condição utilizando a estrutura “else if”. A estrutura básica do “if-else if-else” é a seguinte:

if (condição1) {
   // bloco de código a ser executado se a condição1 for verdadeira
} else if (condição2) {
   // bloco de código a ser executado se a condição2 for verdadeira
} else {
   // bloco de código a ser executado se todas as condições forem falsas
}

Nesse exemplo, a variável “idade” é igual a 20. Se a idade for maior ou igual a 18, o programa exibe a mensagem “Você pode fazer a prova.”. Se for menor do que 18, o programa irá exibir a mensagem “Você ainda não pode fazer a prova.”. E se for diferente de um número válido, o programa exibe a mensagem “Idade inválida.”.

Por fim, é importante destacar que o JavaScript possui diversos operadores que podem ser utilizados dentro das estruturas condicionais, como os operadores de igualdade e desigualdade (==, !=), os operadores de comparação (>, >=, <, <=), entre outros. Esses operadores permitem que as condições sejam mais complexas, como por exemplo, comparar o valor de duas variáveis.

Veja um exemplo prático:

let valor1 = 5;
let valor2 = 10;

if (valor1 < valor2) {
   console.log("O valor1 é menor do que o valor2.");
} else if (valor1 > valor2) {
   console.log("O valor1 é maior do que o valor2.");
} else {
   console.log("Os valores são iguais.");
}

Nesse exemplo, a variável “valor1” é igual a 5 e a variável “valor2” é igual a 10. O programa compara as duas variáveis e exibe a mensagem “O valor1 é menor do que o valor2.”

Melhores práticas ao utilizar as estruturas condicionais “if” e “else” em JavaScript

Agora vamos falar sobre as melhores práticas ao utilizar as estruturas condicionais “if” e “else” em JavaScript. Essas estruturas são primordialmente fundamentais para a lógica de programação e são amplamente utilizadas em qualquer projeto que envolva tomadas de decisão.

Utilize os operadores de comparação corretamente

Para criar condições dentro das estruturas condicionais “if” e “else”, é necessário utilizar os operadores de comparação, como “<“, “>”, “<=”, “>=”, “==”, “!=”. É importante utilizá-los corretamente para garantir que as condições estejam bem definidas. Além disso, use o operador “===” ao invés do “==”, pois o primeiro também verifica o tipo de dados.

Exemplo:

let a = 5;
let b = '5';

if (a === b) {
  console.log("a é igual a b");
} else {
  console.log("a é diferente de b");
}

Nesse exemplo, como o operador utilizado foi o “===” e as variáveis “a” e “b” são de tipos diferentes, o programa irá executar a mensagem “a é diferente de b”.

Evite condições aninhadas excessivas

É comum utilizarmos a estrutura “if” dentro de outra estrutura “if” para criar condições mais complexas. No entanto, evite o excesso de condições aninhadas, pois isso pode tornar o código difícil de entender e manter.

Exemplo:

let idade = 18;
let possuiCNH = true;
let possuiCarro = false;

if (idade >= 18) {
  if (possuiCNH) {
    if (possuiCarro) {
      console.log("Pode dirigir");
    } else {
      console.log("Não possui carro");
    }
  } else {
    console.log("Não possui CNH");
  }
} else {
  console.log("Não é maior de idade");
}

Nesse exemplo, há três níveis de condições aninhadas, o que dificulta a compreensão do código. Uma forma de simplificar seria utilizar a estrutura “else if” em vez de aninhar diversas estruturas “if”.

Leia Também: Comparação de dados e Operadores lógicos no JavaScript

Use variáveis descritivas para as condições

Para tornar o código mais legível, utilize variáveis descritivas para as condições. Isso ajuda a entender rapidamente qual é a condição em questão, sem precisar olhar todo o código.

Por exemplo:

let idade = 18;
let possuiCNH = true;
let possuiCarro = false;
let podeDirigir = (idade >= 18 && possuiCNH && possuiCarro);

if (podeDirigir) {
  console.log("Pode dirigir");
} else {
  console.log("Não pode dirigir");
}

Nesse exemplo, a variável “podeDirigir” foi criada para armazenar a condição de que a idade é maior ou igual a 18, possui CNH e possui carro. Dessa forma, o código fica mais legível e fácil de entender.

Considere a ordem das condições

A ordem das condições pode afetar o resultado da condição final. Considere a ordem em que você coloca as condições, principalmente ao utilizar a estrutura “else if”. Organize as condições de forma que o teste comece pela mais específica e termine na mais geral.

Por exemplo, se quisermos verificar se uma pessoa é adulta ou idosa, podemos escrever o seguinte código:

let idade = 65;

if (idade >= 60) {
  console.log("Você é idoso.");
} else if (idade >= 18) {
  console.log("Você é adulto.");
} else {
  console.log("Você é menor de idade.");
}

Nesse exemplo, a condição mais específica é testada primeiro e a mais geral é testada por último.

Por isso, outra prática recomendada é usar operadores ternários para condições simples. Isso torna o código mais limpo e legível. Por exemplo:

let resultado = (nota >= 7) ? "Aprovado" : "Reprovado";

Além disso, é importante usar chaves para delimitar o bloco de código dentro da estrutura condicional, mesmo que o bloco contenha apenas uma instrução. Isso ajuda a evitar erros de lógica e facilita a leitura do código.

if (nota >= 7) {
  console.log("Aprovado");
} else {
  console.log("Reprovado");
}

Dessa forma, o código fica mais fácil de entender e de manter.

As estruturas condicionais são fundamentais para a escrita de programas em JavaScript. No entanto, é importante seguir algumas boas práticas para tornar o código mais legível, fácil de entender e de manter. Algumas dessas práticas incluem o uso de operadores lógicos, a ordem das condições, o uso de operadores ternários e a evitar condições aninhadas. Com essas práticas em mente, você pode escrever código JavaScript mais eficiente e de qualidade.

Switch

Estruturas Condicionais: If e Else e Switch mp JavaScript

Use o switch quando você precisar comparar um valor com uma lista de opções e executar diferentes ações com base na opção correspondente.

Ao utilizar o switch, é importante lembrar que a ordem das cláusulas case pode afetar o resultado final. Por isso, pense cuidadosamente na ordem em que as opções são colocadas. Além disso, é importante ter uma cláusula default para lidar com opções que não correspondem a nenhuma das opções existentes. Por fim, garanta que cada bloco de código dentro de uma cláusula case seja finalizado com a instrução break para evitar que as cláusulas case subsequentes sejam executadas acidentalmente.

Aqui está a sintaxe básica do switch em JavaScript:

switch (expressão) {
  case opção1:
    // bloco de código a ser executado
    break;
  case opção2:
    // bloco de código a ser executado
    break;
  case opção3:
    // bloco de código a ser executado
    break;
  default:
    // bloco de código a ser executado se nenhuma das opções corresponder
    break;
}

Aqui está um exemplo de uso do switch em um programa que recebe o dia da semana em formato numérico e imprime o nome do dia como resultado:

let dia = 1;
let nomeDia;

switch (dia) {
  case 1:
    nomeDia = "Domingo";
    break;
  case 2:
    nomeDia = "Segunda-feira";
    break;
  case 3:
    nomeDia = "Terça-feira";
    break;
  case 4:
    nomeDia = "Quarta-feira";
    break;
  case 5:
    nomeDia = "Quinta-feira";
    break;
  case 6:
    nomeDia = "Sexta-feira";
    break;
  case 7:
    nomeDia = "Sábado";
    break;
  default:
    nomeDia = "Dia inválido";
}

console.log(nomeDia);

Note que a cláusula break é usada após cada bloco de código para sair do switch e evitar que outras cláusulas sejam executadas. Se a cláusula break for omitida, o código continuará a ser executado até encontrar um break ou até o final do switch. Tenha atenção na ordem das opções no switch, pois a primeira opção que corresponder à expressão será a que vai executar.

Leia Também: Linguagem de Programação, tudo que você precisar saber

Melhores Práticas ao usar Switch

Assim como nas estruturas condicionais “if” e “else”, o uso adequado da estrutura “switch” também requer algumas boas práticas. Algumas delas incluem:

  1. Use o “switch” quando houver muitas condições. Porém, se existir apenas uma ou duas condições, use a estrutura “if” e “else”.
  2. Certifique-se de que a variável de controle seja do tipo correto: A variável de controle do “switch” deve ser do mesmo tipo das constantes ou valores que estão sendo comparados. Se a variável for de um tipo diferente, o resultado pode ser inesperado.
  3. Inclua o “default”: O caso “default” vai executar quando nenhum dos outros casos for verdadeiro. Certifique-se de incluir um caso “default” para evitar resultados inesperados.
  4. Use “break” após cada caso: É importante usar “break” após cada caso para evitar que o código execute acidentalmente o próximo caso.
  5. Evite usar condições complexas em cada caso: Cada caso deve ser simples e fácil de entender. Evite condições complexas que podem dificultar a manutenção do código no futuro.
  6. Use comentários para documentar cada caso: É uma boa prática usar comentários para descrever o que está sendo testado em cada caso. Isso com toda a certeza tornará o código mais fácil de entender para outras pessoas que possam ler ou trabalhar no código no futuro.

Ao seguir essas boas práticas, você certamente irá poder escrever um código mais claro e fácil de entender usando a estrutura “switch”.

Cursos e Livros indicados:
Conclusão

Em suma, neste artigo, vimos que as estruturas condicionais “if-else” e “switch” são fundamentais para a programação em JavaScript, permitindo que o código execute diferentes ações com base em condições específicas. No entanto, é importante seguir as melhores práticas para garantir que o código seja eficiente e legível. Algumas das melhores práticas incluem evitar aninhamento excessivo, usar operadores ternários com moderação, evitar código duplicado e considerar a ordem das condições. Ao implementar essas práticas, podemos escrever códigos mais eficientes e fáceis de entender, o que pode resultar em menos erros e melhor manutenção do código no longo prazo.

Deixe seu Comentário!