Desenvolvedor Full Stack: O mais valorizado no mercado de Tecnologia

Ofertas Relâmpago da Shopee

Dispositivo de Proteção Elétrica EPS 301 Preto Intelbras
Dispositivo de Proteção Elétrica EPS 301 Preto Intelbras
R$44,89
Jogo de Cozinha Kit C/12 Peças de Silicone
Jogo de Cozinha Kit C/12 Peças de Silicone, Utensílios e Copo Suporte para Cozinha Cabo de Madeira Yihan
R$50,80
Gaabor Panela de Pressão Elétrica 6L
Gaabor Panela de Pressão Elétrica 6L
R$399,90
Cesto de Silicone Redondo Air Fryer
Cesto de Silicone Redondo Air Fryer e Forno Forma para Fritadeira Elétrica com Alça
R$10,00

O mercado de trabalho desenvolvedor Full Stack tem se tornado cada vez mais aquecido nos últimos anos. Com a crescente demanda por tecnologia em empresas de diversos segmentos, a profissão tem se tornado uma das mais procuradas e valorizadas.

De acordo com especialistas do setor, essa área de programação é uma das mais promissoras atualmente. Pois esse profissional possui habilidades tanto na parte do desenvolvimento de front-end, back-end, além ser capaz de trabalhar com bancos de dados e outras tecnologias.

O Curso “Pacote Full Stack Master”

O curso “Pacote Full Stack Master” é uma oportunidade única de aprender e se destacar na área da programação, mesmo que você nunca tenha tido contato com a programação antes. Com mais de 2500 aulas e mais de 200 projetos práticos, o curso oferece uma abordagem completa para ensinar as tecnologias web mais poderosas da atualidade.

Mas o que é um Desenvolvedor Full Stack? 

É um profissional de tecnologia que tem habilidades tanto na programação do lado do cliente (front-end) quanto na programação do lado do servidor (back-end). Isso significa que ele é capaz de trabalhar em todas as camadas de uma aplicação web, desde a interface com o usuário até o banco de dados e a lógica de negócios.

Deve ter conhecimentos em linguagens de programação front-end, como HTML, CSS e JavaScript, além de frameworks como Angular, React ou Vue.js. Ele também deve ter conhecimento em linguagens como Python, Ruby, PHP ou Java, e frameworks como Node.js, Django, Ruby on Rails, Laravel ou Spring. Ter conhecimentos em bancos de dados, como MySQL, MongoDB ou PostgreSQL.

Nesse sentido, é necessário ter conhecimentos em diversas áreas da programação, tanto do lado do cliente quanto do servidor, e estar disposto a aprender constantemente. Além disso, é importante ter habilidades interpessoais, como a capacidade de trabalhar em equipe e se comunicar efetivamente.

Para aprimorar suas habilidades, pode se inscrever em cursos online, frequentar grupos de estudos e eventos de tecnologia, e participar de projetos open source. Essas atividades podem ajudá-lo a manter-se atualizado com as últimas tendências em tecnologia e aprimorar suas habilidades técnicas e interpessoais.

O que você precisa aprender?

Existem muitas plataformas incríveis para estudar programação, inclusive opções gratuitas com a Dio, com vários cursos BootCamps gratuitos, Graduação em Análise de Sistemas pela XP Educação também gratuito a mensalidade. A XP Educação oferece também um curso de MBA de Desenvolvimento Full Stack por um valor bem acessível. 

As linguagens de programação mais procuradas atualmente são JavaScript, Python e Java, mas isso pode variar de acordo com a região e a demanda do mercado. Por isso, é importante ficar atento às tendências e necessidades da sua região.

Encontre muitos cursos gratuitos ou pagos JavaScript, Python e Java e outros na Alura e na Udemy. São umas das maiores do mercado. 

Além disso, conhecimentos em metodologias ágeis, como Scrum e Kanban, e estar familiarizado com ferramentas de versionamento de código, como o Git. Ter um portfólio de projetos pessoais ou participar de projetos de código aberto também é uma boa maneira de se destacar no mercado de trabalho.

Conheça um pouco sobre Metodologias Ágeis

As metodologias ágeis são um conjunto de práticas e valores que buscam entregar produtos e serviços com rapidez, flexibilidade e qualidade. Essas metodologias têm se tornado cada vez mais populares nos últimos anos, principalmente na área de tecnologia, onde o mercado exige rapidez e inovação constantes.

As metodologias ágeis surgiram como uma resposta às metodologias tradicionais de gestão de projetos, que muitas vezes eram burocráticas e inflexíveis. Por sua vez, se baseiam em valores como colaboração, comunicação, simplicidade, adaptação e entrega contínua de valor.

Entre as principais metodologias, podemos citar o Scrum, o Kanban, o XP (Extreme Programming) e o Lean. Cada uma tem suas próprias características e práticas, mas todas têm em comum a ideia de entregar valor em ciclos curtos e iterativos, de forma a obter feedbacks constantes dos usuários e clientes e adaptar o produto às suas necessidades.

São mais conhecidas no mercado:

No Scrum, por exemplo, o trabalho é dividido em sprints (ciclos curtos de trabalho), que geralmente duram de duas a quatro semanas. Durante cada sprint, a equipe se concentra em entregar um conjunto de funcionalidades que foram priorizadas pelo cliente ou pelo Product Owner. Ao final de cada sprint, é realizada uma reunião de retrospectiva para avaliar o que funcionou bem e o que pode ser melhorado no próximo sprint.

Já no Kanban, o trabalho é visualizado em um quadro (board) que mostra as tarefas em diferentes colunas (como “a fazer”, “em andamento” e “concluído”). Cada tarefa é limitada por um limite de trabalho em progresso (WIP limit), de forma a evitar sobrecarga e gargalos. O objetivo é manter um fluxo constante de trabalho e entregar valor de forma contínua.

Você pode aprender também:

O XP, por sua vez, é uma metodologia que enfatiza a qualidade do código e a colaboração da equipe. Entre as práticas do XP, podemos citar o desenvolvimento orientado a testes (TDD), a integração contínua, o pair programming (programação em pares) e o planejamento do jogo (planning game), onde a equipe e o cliente colaboram para definir as prioridades do projeto.

Por fim, o Lean é uma metodologia que se baseia na eliminação de desperdícios e na maximização do valor entregue ao cliente. Entre as práticas do Lean, podemos citar o mapeamento do fluxo de valor (value stream mapping), a redução do tempo de ciclo (lead time) e a aplicação do Kaizen (melhoria contínua).

Conheça a PM3 uma das escolas que é referência na educação em Produtos Digitais no Brasil. Na Udemy e Alura você também encontra cursos de Metodologias Ágeis. 

Uma das melhores médias salariais de mercado. 

A média salarial para um Desenvolvedor Full Stack varia bastante de acordo com a experiência do profissional, a cidade onde trabalha e a empresa em que está empregado.

No Brasil, de acordo com dados da plataforma de recrutamento Catho, a média salarial de um Desenvolvedor Full Stack Júnior é de cerca de R$ 4.000,00 a R$ 6.000,00 por mês. Já para um Pleno pode ganhar de R$ 6.000,00 a R$ 10.000,00 por mês, enquanto um Sênior pode chegar a ganhar mais de R$ 15.000,00 por mês.

Porém, é importante ressaltar que esses valores são apenas uma média e podem variar muito de acordo com a região e o setor em que o profissional atua. Em grandes empresas de tecnologia, por exemplo, é possível encontrar salários ainda mais altos para Desenvolvedor Full Stack com experiência e habilidades avançadas.

É importante lembrar que o salário não é o único fator a considerar ao escolher uma carreira. Outros fatores, como a cultura da empresa, a qualidade do trabalho e a oportunidade de crescimento profissional também devem ser levados em conta na hora de escolher uma posição em uma empresa.

Mercado de Trabalho aquecido!

O mercado exige cada vez mais dos profissionais Full Stack, mantanha-se sempre atualizado sobre as novas tendências e tecnologias. Certificações em linguagens de programação e outras áreas também podem ajudar a valorizar o currículo.

Por último, o mercado de trabalho para programadores está em constante expansão e há uma grande demanda por profissionais qualificados e atualizados. Para se destacar na área, é necessário estudar as principais linguagens de programação, estar sempre atualizado sobre as novas tecnologias, ter conhecimentos em metodologias ágeis e ter um portfólio de projetos. Com dedicação e empenho, é possível alcançar sucesso na carreira de Desenvolvedor.

Deixe seu Comentário!